The Ramones – Dilaceração dos padrões mundanos

Mil novecentos e setenta e quatro, ano o qual uma estupenda revolução musical iniciou-se com simplórios acordes de uma desvalorizada Mosrite nos subúrbios do Queens. Exatamente, um novo estilo surge que de uma forma simples, porém única, conseguiu abalar os palcos de todo o Mundo com um quarteto extremamente feroz e ricamente perfeccionista na composição de grandes canções com uma imaginação tão amedrontadora que funciona como um meio de inspiração para outros milhares de grupos musicais.

Isso sacudiu tanto os estádios que até hoje ninguém acredita que um transtornado obssessivo-compulsivo movido à base de drogas, solitário em seus pensamentos e que até perdeu sua namorada para um parceiro de banda, pudesse fazer tanto para o cenário musical! Joey… Joey Ramone, o cara que inspira mentes perdidas dispersas na estratosfera da Terra, mostrando que o tamanho do poço não importa, basta encaixar em nossas cabeças que temos tamanha força para aguentar a escalada até o topo do mesmo, não importa a profundidade, saímos dele.

A voz estrondosa de Joey Ramone combinada com a guitarra lanhada de Johnny Ramone (a nossa queridinha Mosrite) fazia estragos na gravidade terrestre, não importa quem ou o que, não conseguia deixar os pés no chão. Tudo era impulsionado ao alto com muitas frequencias junto com um grito de guerra surpreendente que até hoje está vivo em nossa volta através de músicas, filmes, roupas, pensamentos filosóficos e suspiros gigantescos de prazer pelo som a qual estamos ouvindo, one-two-three-four, o grito de guerra, aquele a qual sempre era agitado e dilacerado por… Dee Dee Ramone, alemão poderoso cheio de garra e perdido no mundo das alucinações que funcionava simplesmente à base de produtos químicos que explicitamente trazia grandes riscos a cabeça de todo aquele que se arriscava experimentar qualquer bagulho como a droga do amor, a farinha ou então a nossa querida e conhecida cannabis. Dee Dee, o cara, que basicamente movia a banda com suas potentes palavras que mudam totalmente o verdadeiro significado da vida e o motivo a qual estamos aqui, faz com que o nosso curto tempo mundano tenha mais graça e objetivos a serem cumpridos e traçados.

Enquanto aquelas batidas fervorosas ao fundo do palco? Tommy Ramone! O cara o qual inventou a nossa belíssima combinação de power chords para a criação de Blitzkrieg Bop, ataque relâmpago. O cara o qual administrava a banda. O cara o qual era baterista e compunha músicas com a sua velha guitarra. O cara o qual tinha aquele Ray Ban preto super cool. O cara o qual deixou sua marca na banda por mais que tenha saído anos depois. O cara o qual ainda sofre nesse mundo rodeado por babacas e cabeças lacradas… Pois é, Tommy Ramone, único presente aqui na Terra.

Nunca esqueceremos os Ramones.

Joey, Johnny e Dee Dee, R.I.P.

Advertisements
Tagged , , , , ,

“Obama” Bin Laden: Você acha possível uma pessoa que nunca existiu mudar totalmente o Mundo?

É meus caros amigos, o planeta Terra agora ficou algo sem motivos e totalmente sem graça. Sabe por qual motivo? SIM, OSAMA BIN LADEN, morreu! Não haverá mais explosões, terrorismos e nem testes nucleares com bombas extremamente devastadoras em países que odiamos!

Famoso caso de Trollagem na imprensa.

NÃÃÃÃÃÃÃO! Osama Bin Laden não morreu, aliás, ele nem existe! Tudo isso foi armação desde o governo de Bush e nosso queridinho Presidente Barack Obama que continua com esse charlatanismo. AGORA EU PERGUNTO A VOCÊS, POR QUE VOCÊS ACHAM QUE INVENTARAM ESSA COISA DO OSAMA TER MORRIDO LOGO AGORA? Bem próximo da Reeleição de Obama? Sem contar que a economia norte-americana está uma catástrofe, Barack Obama está acabado, provavelmente não se reelegerá. Bom, do jeito que os americanos são burros e não sabem nem o nome do próprio país (veja o vídeo abaixo), é provável que Obama se reeleja e possivelmente os EUA irá de péssimo ao nível da Guiné Equatorial.

O que mais me surpreende é que essa patifaria toda funcionou, a economia mundial está em alta e os nossos homens que vestem apenas ternos desenhados por Stuart Hughes se sentem mais seguros e acomodados, seguros em ter um homem que nunca existiu morto.

(Esclarecimentos: O Osama que queríamos dizer que nunca existiu foi a figura terrorista inventada pelos EUA e não a pessoa fisíca, já que esse existiu, mas apenas foi usado como marionete!)

Texto escrito por Neto e Kalbur, o mago.

The Twist, o êxito dos anos 60.

Em 1959, um cara de nome Hank Ballard, compôs uma música chamada The Twist e meio que extraiu uma dança um tanto quanto estranha da Flórida, a qual era uma dança um pouco popular entre os jovens da época, mas ridiculamente desconhecida. Hank Ballard, então, produziu um compacto com essa música, mas o problema foi que ninguém gostou dessa música, então o compacto passou despercebido, não teve tanto sucesso. Ele fez até alguns shows, mas realmente ninguém gostou da música, principalmente da dança.

Foi aí que em 1960, até aí nada para se fazer, dias monótonos e chatos, chegou essa maravilhosa música e estupenda dança aos olhos e ouvidos de Dick Clark, ele ficou extremamente interessado, com isso, ele procurou o mais rápido possível por um cantor que quisesse regravar a música. Ele encontrou um cantor, Chubby Checker, que logo de início não mostrou interesse algum pela música e logo de cara disse que seria uma catástrofe, mas ele se enganou, a música fez sucesso, um espetacular e estrondoso sucesso, com isso, ele começou ir a programa de televisões e, com isso, apresentou a dança para todos e foi maravilhosamente recebida, por incrível que pareça, por mais que não tenham gostado da maneira que Hank Ballard tinha feito, todos gostaram da maneira que Chubby Checker fez, sim, tanto quanto a música e a dança viraram um estupendo sucesso e êxito dos anos 60, que foi até parar na primeira colocação da Billboard Hot 100.

Chubby Checker, ao fundo.

Mas, a dança já foi designada como imprópria. Foi designada sabe por quem? Pela Igreja Católica.

A dança em si, é extremamente fácil, mas por acharem muito fácil, as pessoas dançam de qualquer maneira e depois vão ao médico com dores nas costas e joelhos. Por incrível que pareça isso foi uma coisa que ocorreu muito na época, pois as pessoas dançavam de uma maneira própria e acabavam se dando mal, por essa questão de depois de dançar ficar com dores, o mais recomendado é fazer alongamentos antes e depois da dança, mas claro, o melhor é você procurar dançar da maneira certa e agradável, que nunca ficará com dores.

Chubby Checker, ao centro.

Os princípios básicos do twist são simples: uma rotação com as pernas juntas e flexionadas com o peso apoiado em uma parte do pé, nos balanços do corpo para frente e para trás e no movimento dos braços contrários ao movimento dos quadris e das pernas.

Outra coisa que revolucionou na dança, foi que a partir dessa dança, as pessoas poderiam dançar sozinhas, as mulheres não precisavam mais esperar serem convidadas para dançar e cada pessoa poderia mostrar suas habilidades na tal dança.

Finalizando, o Twist foi uma dança que participou, revolucionou e influenciou muito no cenário artístico do mundo, não só na área de dança, mas até na moda, pois foram criadas certas calças, saias e camisas, para que dessem um ar mais vibrante aos nossos olhos quando víssemos uma pessoa dançando Twist, e também, influenciou na parte de educação física, pois não era qualquer um que conseguia dançar o twist, tinha que ter bom condicionamento físico, com isso, muitas pessoas ralaram para poderem fazer seus pequenos passinhos de dança no twist, muito do que eu vi, algumas pessoas usavam o twist com um meio de emagrecer, pois trabalha em boa parte do corpo (pernas e quadris) e com tudo isso, só para você ver, começou com uma simples dança norte-americana, que hoje é algo indispensável aos fãs de Rock n’ Roll, Rockabilly e que faz parte da história da dança.

Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado do post! Até o próximo.